Mapinfo para Telecom - Parte 1

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011 09:21:00 Categories: Mapinfo
Rate this Content 1 Votes

Para se trabalhar com Telecom e TI, não é suficiente apenas ter um bom conhecimento sobre os conceitos teóricos e prática nas atividades da área. É de fundamental importância conhecer tudo o mais que possa nos ajudar a nos tornarmos cada vez mais eficiente em nosso trabalho.

Esse é o caso por exemplo de programas e aplicações, que bem usadas, realmente vale a pena. Como exemplo de programas bem conhecidos, destaco o Excel – pois já até escrevi um primeiro artigo sobre o mesmo: link. Mas temos diversos outros programas bem interessantes, como por exemplo o Mapinfo – que embora não seja um software específico para área de Telecom ou TI, pode ser muito bem aproveitado.

Então, vamos começar a série mais uma série de artigos simples e diretos, com informação e dicas de Mapinfo para profissionais de Telecom e TI. Observação: Se você trabalha ou pretende trabalhar um dia nessa área, vale a pena!

 

O Programa

Na área de telecomunicações, programas de processamento de informações geo-referenciadas são quase obrigatórios. O Mapinfo é um desses programas.

Seja para plotar informações de drive test, para visualizar um rede celular com sites e setores, ou até mesmo analisar os indicadores de performance do sistema, você pode contar com o Mapinfo.

E para melhorar, se você quiser avançar um pouco mais, o Mapinfo tem uma linguagem de programação própria – o Mapbasic – que permite criar aplicativos compilados (MBX), mais ou menos como macros que podem ser executados dentro do próprio programa – até mesmo criar interface de usuário.

Mas não é meu objetivo me estender muito falando sobre o programa. Até porque, essas dicas são para quem já usou pelo menos algumas vezes.

Só para ilustrar, a figura abaixo mostra uma Área de Trabalho do Mapinfo com informações plotadas de Sites como pequenos círculos vermelhos, os Setores como linhas azuis e um Indicador qualquer – por exemplo nível de sinal – como pequenos círculos cinza.

 

Arquivos para Download

Diferentemente da forma com que fiz anteriormente - onde os arquivos dos tutoriais eram enviados apenas para os assinantes contribuintes do site - os arquivos de apoio agora podem ser baixados diretamente em cada artigo.

Até mesmo porque, cancelei a parte paga do site, como todos já sabem.

Download

 

E vamos ao que interessa...

Feita a (brevíssima) introdução ao programa, vamos lá.

Como falei quando comecei a série dicas de Excel para Telecom, você também encontra inúmeros sites com dicas de Mapinfo. A diferença aqui é que vou tentando mostrar apenas as mais interessantes, aquilo que precisamos aprender e pronto.

É claro que em se tratando de conhecimento, quanto mais melhor, só vou tentando priorizar, com foco em formar profissionais cada vez mais versáteis. A medida que eu achar que vale a pena postar a dica, eu publico.

E se você tem alguma dica interessante, dessas que todos gostariam de saber, por favor, compartilhe. Envie para mim: contato. Eu publico, e coloco seu nome nos créditos.

 

Gráfico Aranha?

Nesse primeiro artigo, vamos ver uma dica sobre a utilização do Mapinfo para geração de gráfico aranha... Como???

Tudo bem, eu também me assustei na primeira vez que ouvi sobre esse gráfico. Mas assim como tudo na vida, quando descobrimos o quanto algo até então desconhecido pode nos ser útil, nossas resistências tornam-se em aceitação.

E para criar Spider Graph no Mapinfo, existe um programa Mapbasic MBX que já vem instalado com o mesmo, basta habilitá-lo – logo veremos como.

Se você quiser ler uma breve explicação sobre essa ferramenta, pode acessar o próprio site do Mapinfo: http://testdrive.mapinfo.com/techsupp/miprod.nsf/kbase_by_product/C831A18D358C12E3852571450068B995

Mas basicamente, a ferramenta desenha linhas entre objetos – que pode ser uma tabela ou uma união de duas tabelas – que é o caso que vou demonstrar como exemplo hoje.

Quando essas linhas são desenhadas, uma nova tabela é criada com as mesmas, de acordo com os valores correspondentes nas colunas, com as cores da tabela original e com uma nova coluna que informa o comprimento de cada linha.

Chega de teoria, e mãos à obra!

 

Após baixar os arquivos desse artigo, abra a nossa área de trabalho para acompanhar em seu computador. Para abrir a área de trabalho, após desanexar os arquivos em alguma pasta temporária, dê um duplo clique no arquivo spider_graph.wor.

Na tela principal, você eoncontrará uma área de trabalho padrão do Mapinfo, com 3 tabelas previamente abertas:

  • Sites: apenas como referência, com alguns sites fictícios.
  • Sectors: tabela com informação dos setores, tendo um campo NAME com a informação do cellid do setor.
  • sample_data: que contém dados de um drive test fictício. Hoje aqui o mais importante não são os dados do drive test, como nível de sinal. Apenas um campo é importante, na verdade essencial – o campo NAME, contendo o cellid. É esse campo que vai permitir a união ddessa nossa tabela com a tabela dos setores – Sectors.

Independente de qual seja o indicador analisado no momento, o spider graph nos permite desenhar as linhas entre os as tabelas dos setores e os dados.

 

Para habilitar essa ferramenta, acesse o Menu Ferramentas (1) -> Gerenciador de Ferramentas... (2).

 

No Gerenciador de Ferramentas, marque a opção para carregar (habilitar) essa ferramenta (1). Se quiser que essa ferramenta seja carregada automaticamente sempre que o Mapinfo for aberto, marque também a opção Autoload (2).

 

Agora você já pode abrir a interface da ferramenta que cria o Spider Graph, acessando Menu Ferramentas (1) -> Spider Graph (2) -> Spider Graph (3).

 

Na nova janela, devemos fazer algumas escolhas, mas são bem intuitivas.

Primeiro, escolher a tabela origem e destino (1) e (2). No caso, a nossa tabela origem é a Sectors, com os dados dos setores.

Também, para cada uma dessas tabelas escolhidas devemos indicar qual o campo é comum a ambas, e que será utilizado para a união (3) e (4). No nosso caso, em ambas as tabelas os campos foram chamados de NAME, e contém o cellid do setor.

E podemos selecionar (5) quais os campos desejamos incluir na nova tabela que será criada. (Para selecionar mais de um campo, utilize a tecla Control).

Observe que você ainda tem a opção de definir a unidade de medidas (Units:), e também marcar as opções Color Code Results, para colorir cada linha agrupada pelo campo comum de uma cor, e opção de Add Line Distance, para incluir o comprimento da linha.

Criando no botão Create Lines da interface principal do Programa Spider Graph, você será questionado sobre um nome para a nova tabela, que pode ser qualquer um. Aqui salvei como spider_graph.tab apenas para facilitar a demonstração.

 

Pronto, agora fica bem mais fácil de entender como esse tipo de gráfico pode nos ajudar não?

O spider graph nos permite verificar em cada ponto quais são os setores servidores, se algum setor está atendendo uma área indveida - espúrios de sinal, se existe cabos invertidos entre setores, etc...

 

Você pode melhor um pouco mais a apresentação, clicando com o botão direito no mapa, escolhendo Controle de Camadas, e habilitando alguns labels (1).

 

 

 

 

Por fim, observe que o Spider Graph foi salvo como uma nova tabela, e foi automaticamente adiconado a área de trabalho. Então, podemos fazer todas as operações como por exemplo criar um Mapa Temático, ou seja, modificar cores, formas, etc, entre outros atributos das linhas do Spider Graph baseado por exemplo nos valores do indicador analisado, da distância (comprimento) de cada linha.

 

E também podemos criar Mapas Temáticos para os nossos indicadores em análise.

Mas esse já é um assunto para um outro dia. Vamos parar por aqui hoje, e dar tempo de você praticar o Spider Graph para uma rápida análise em seus drive tests.

 

Uma pequena observação final

Aqui vale a pena informar o seguinte. Embora os tutorias de desenvolvimento dos aplicativos descritos no BLOG estejam suspensos, nesses tutoriais eu já dei várias dicas de utilização do Mapinfo e Mapbasic. Se você quiser ler um pouco mais, registre-se gratuitamente como membro do telecomHall, e acesse o BLOG. Se já for membro, simplesmente faça o login e acesse o BLOG.

Escolha as TAGS que contenham Mapinfo e ou Mapbasic, ou se preferir, leia todos os artigos. Aliás, eu recomendo isso, pois mesmo sem os arquivos desenvolvidos disponíveis para serem baixados, você aprenderá diversos conceitos e dicas.

De qualquer forma, se não quiser ler por lá, não se preocupe: gradativamente vou ensinando aqui tudo o que você precisa saber. Mesmo que algumas informações pareçam repetidas como o que foi falado no BLOG. Conto então com a sua compreensão, tudo bem?

Link para artigos do Blog

 

Tem uma dica interessante, e quer compartilhar?

Gostou da dica, e tem uma parecida? Mande pra mim que eu publico seu nome aqui!

Envie para contato.

 

Conclusão

Este foi uma breve introdução ao Mapinfo, já com um exemplo que pode ser bem útil para uma rápida verificação de drive tests novos sites – a utilização do Spider Graph.

Mesmo se você já conhecia essa dica, continue participando. A idéia aqui, como em todos os artigos, é sempre ser rápido e direto, com apenas aquilo que vale a pena – e precisa – ser visto, buscando sempre publicar novas dicas que possam trazer melhores resultados.