Hunter GE Network (Legend - Folder - Info)

-abril de 2010+
dstqqss
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829301
2345678
  • RSS
  • Subscribe

Estatísticas

  • Entradas (42)
  • Comentários (21)
terça-feira, 13 de abril de 2010 20:00:00 Categories: Access Google Earth Hunter
Rate this Content 0 Votes

Os dados de nossa rede – sites e setores – já estão plotados automaticamente no Google Earth, tudo bem. Mas a apresentação dos dados pode ficar muito melhor. Vimos como alterar as características dos setores e sites manualmente, através da Interface do programa. Hoje vamos aprender como fazer uma série de melhorias que podem ser feitas para tornar esses dados muito mais organizados e apresentáveis.

 

 

 

Objetivo

A partir das informações dos dados da nossa rede, gerar automaticamente um arquivo que possa ser aberto pelo Google Earth, com melhorias de organização e apresentação, como legenda, folders e informações.

Hoje veremos mais dicas exclusivas de por exemplo como clicar na ponta de um setor e obter informações sobre o mesmo.

Observação: Na grande maioria dos tutoriais temos os arquivos relacionados, e que são enviados para os Assinantes.

Se você é um assinante, por favor, verifique em seu e-mail o arquivo Blog_005_Hunter_GE_Network (Legend - Folder - Info).zip. Utilize o suporte para qualquer dúvida ou problema que encontrar.

Se você é um membro, e tem acesso ao tutorial escrito, aprenderá sempre conceitos muito importantes que com certeza vão lhe ajudar em seus próprios desenvolvimentos. Você comprovará em cada novo tutorial!

 

Estrutura de Arquivos

Vamos adicionar a estrutura que temos até o momento a pasta icon, logo abaixo da pasta GE. Essa pasta é auxiliar, e contém todas as imagens auxiliares como ícones que usamos para melhorar a apresentação dos dados. Nesse caso específico, conterá a legenda – um arquivo de imagem.

Quanto aos arquivos, utilizaremos o mesmo nome da lição anterior (na verdade tem o nome Legend - Folder - Info entre parenteses, só para indicar que é o arquivo de exemplo deste tutorial; assim você pode por exemplo comparar o que há de novo em relação ao arquivo de exemplo do tutorial anterior). Você pode simplesmente sobrescrever os arquivos atuais pelos novos, que somente contém mais dados e códigos. De qualquer forma, os arquivos originais de cada lição estão disponíveis e você pode tornar a baixá-los sempre que desejar.

Já temos a estrutura, vamos começar.

 

Legenda

Utilizando o Google Earth não é possível inserir diretamente uma legenda, portanto não dá para fazer a inspeção reversa como fizemos até agora, e verificar qual é a sintaxe que devemos usar.

Para isso, precisamos ou obter um arquivo de exemplo que já contenha legenda – e aí fazer a inspeção reversa, ou pesquisar na documentação do Google sobre essa sintaxe.

De qualquer forma, já temos temos a sintaxe para criar uma legenda (ScreenOverlay). A tag name (1) definine o nome da Legenda, e a tag href (2) define a imagem que será usada como legenda.

As demais tags controlam o posicionamento. No momento não alteraremos, pois queremos a legenda no canto superior esquerdo.

Assim, tendo disponível uma imagem para utilizarmos como legenda, podemos criar a mesma através do código.

Utilizando o arquivo de imagem padrão fornecido, nosso arquivo do Google Earth agora mostra sua legenda (1) sobreposta!

 

Pastas

Seguindo o procedimento que fizemos até hoje para gerar arquivos do Google Earth, teríamos mais um arquivo gerado para a Legenda, e nossos dados até agora ficam como mostrado abaixo.

 

Essa forma até funciona, mas com certeza não é a mais elegante, ou até mais organizada. O ideal seríamos ter apenas uma pasta – Hunter_Network - contendo com todo os nossos, uma vez que os mesmos são relacionados. Assim, através do Google Earth, criamos uma nova pasta para conter esses dados. Menu Adicionar (1) -> Pasta (2).

 

Arrastando cada um dos três arquivos para a nova pasta criada, temos a estrutura final. Agora, basta clicarmos na pasta Hunter_Network (1) para mostrarmos os sites, os setores e a legenda de uma só vez. O contrário para esconder.

 

Salvando a nossa pasta como um arquivo KML, verificamos com um editor de texto a sintaxe para Pastas, e como definir o nome da mesma, usando a tag name (1).

 

A tag visibility define se a pasta é visível ou não, e a tag open define se a pasta deve ser mostrada como aberta ou fechada.

Assim, agora temos os nossos dados organizados em folders.

 

Info Window

Uma ótima funcionalidade que temos no Google Earth é podermos clicar num marcador, e obter as informações armazenadas no campo Descrição (1) do mesmo.

 

A sintaxe para incluirmos a descrição no marcador é simples, e definida pela tag description.

 

Tudo bem, para os sites basta incluirmos essa linha logo abaixo da tag name que define o nome do marcador.

Mas uma linha não é clicável no Google Earth, e então como fazemos para conseguir clicar na ponta do setor? Temos um pequeno problema!

A solução que nos vem de imediato é simples: plotamos também um marcador adicional na ponta do setor. Só que aí temos um novo problema: se fizermos isso, vão aparecer ícones na ponta do setor, o que não é interessante.

Para resolver esse problema, vamos aprender um pouco mais da estrutura KML, antes de prosseguirmos.

Uma funcionalidade muito legal que veremos, é a de poder declarar estilos, com uma série de propriedades. E depois, aplicar este estilo ao placemark que desejarmos.

Por exemplo, se adicionamos um ponto simplesmente, ele fica como default. Com o comando correspondente a “Adicione um ponto”, temos algo como a figura abaixo.

 

Mas podemos adicionar um ponto especificando os detalhes do mesmo, ou seja, as suas propriedades como cor, tamanho do ícone, cor do texto, etc. Ou seja, podemos executar a instrução correspondente a “Adicione um ponto, com o label de tamanho 2, e com a cor verde!” Ficaria então como mostrado a seguir.

 

Mas só isso não bastaria para o nosso caso.

Para nossa sorte, podemos definir o estilo default, e o estilo quando passamos o mouse sobre o marcador!

Assim, basta definir algo como: no estilo normal (sem passar o mouse sobre o marcador), coloque todos os valores em 0 e todas as cores transparentes; no estilo highlight (quando passar o mouse sobre o marcador), mostre o texto com valor 2 – por exemplo.

Então, é isso. Basta definirmos um estilo, e aplicá-lo ao marcador que incluirmos na ponta do setor! Existe uma série de propriedades, e para defini-las seguimos o mesmo conceito das tags KML.

Definimos o nome do nosso estilo como sector_end da forma como vemos abaixo.

 

E para cada um dos dois tipos (normal e highlight), definimos quais devem ser as propriedades. Abaixo vemos a propriedade scale do LabelStyle (escala do estilo do texto) para o tipo normal, ou seja, o texto tem tamanho igual a zero!

 

Todas as propriedades de ícone e texto são definidas apropriadamente no código, e estão comentadas.

Seguindo o código você verá que incluímos um novo marcador, na ponta de cada setor, com o estilo aplicado.

Abra o arquivo criado, e confira agora como você poderá clicar na ponta do setor, e obter as informações do mesmo!

Nosso arquivo final agora tem uma legenda (1), nos permite selecionar tudo de uma vez – ou não (2), e quando clicamos na extremidade de um setor, temos as informações do mesmo (3), de acordo com o que escolhemos mostrar, que no caso foi o texto Sector seguido da sua sigla. Observe também que simplesmente passando o mouse sobre a extremidade do setor mostramos sua sigla (4).

 

O uso dos estilos será bem mais explorado daqui pra frente. Você verá que utilizando os estilos de forma criativa conseguirá resultados bem impressionantes!

 

Conclusão

Com essa lição aprendemos como utilizar código VBA no Access fazer alguns ajustes no nosso arquivo formato Google Earth, muitas delas não simplesmente impossíveis de serem feitas utilizando a interface do programa. Vimos como adicionar legendas, organizar os dados em folders e obter os dados de um setor clicando na sua extremidade!

Esperamos que você tenha gostado. Tire suas eventuais dúvidas postando seus comentários no Blog ou através do nosso Suporte através do Chat ou E-mail.

Até nosso próximo encontro, e lembre-se: O seu sucesso é o nosso sucesso!

Comentários

domingo, 25 de julho de 2010 18:07:23
Bruno Leonardo

re: Hunter GE Network (Legend - Folder - Info)

Olá amigos,

Mais uma vez parabéns pelo post, porem neste gostaria de fazer uma sugestão. Aqui no site os exemplos de códigos KML seguem a estrutura padrão do KML dando os recuos mostrando uma TAG dentro da outra, porem nos arquivos KMLs recebidos pelos assinantes as tags ficam alinhadas no inicio da linha. Acho interessante para facilitar o aprendizado dos códigos KMLs usarmos os recuos.

Abrs.

domingo, 25 de julho de 2010 18:40:10
telecomHall

re: Hunter GE Network (Legend - Folder - Info)

Oi Bruno,

Obrigado pelo seu comentário.

Em relação arquivo KML gerado, as indentações são próprias da estrutura XML. Explicando melhor, elas estão lá, mas dependo do visualizador pode parecer que não estão. Por exemplo, se você usar o Bloco de Notas para vizualizar, provavelmente não vair de forma indentada (uma tag dentro da outra, recuo, etc). Mas se usar um programa de texto um pouco mais 'especializado', vai ver da forma como mostrada no tutorial.

Em nossos tutoriais utilizamos um programa excelente, leve como o bloco de notas, mas potente como precisamos - inclusive mostrando indentações XML. Ah, esse programa - gratuito - será disponibilizado em breve na seção de Dicas. :)

Esperamos ter esclarecido, mas se tiver alguma dúvida, entre em contato novamente.

Um abraço,

Equipe telecomHall

terça-feira, 27 de julho de 2010 14:28:50
Bruno Leonardo

re: Hunter GE Network (Legend - Folder - Info)

Obrigado!!!

 
7 + 1 =