Hunter GE Network (Application) UPDATED

-março de 2012+
dstqqss
26272829123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
1234567
  • RSS
  • Subscribe

Estatísticas

  • Entradas (42)
domingo, 18 de março de 2012 23:29:00 Categories: Access Base de Dados Google Earth Hunter Microsoft Excel
Rate this Content 2 Votes

Olá pessoal, hoje vamos falar de uma pequena alteração na forma de apresentação, ou metodologia dos tutoriais Hunter, principalmente devido às solicitações de usuários.

Até hoje, todos os tutoriais foram escritos de forma bem extensa, objetivando principalmente permitir um fácil entendimento de tudo aquilo que fosse necessário para que todos os usuários pudessem aprender a usar as sua próprias ferramentas disponíveis, como o Microsoft Access e o Google Google Earth.

Para isso, em diversos tutoriais, detalhamos exaustivamente a utilização do Access e VBA, demonstrando como podemos fazer sistemas incríveis com o mesmo.

Entretanto, muitos dos novos usuários não possuem muita experiência com o Access, o que acaba minimizando a eficiência do aprendizado.

Por outro lado, praticamente todos os usuários utilizam ou já possuem os seus principais dados no Microsoft Excel. E a razão é porque é realmente mais simples e intuitivo trabalhar com o mesmo.

Assim, a partir desta semana, os nossos tutoriais, bem como as nossas aplicações de exemplo, terão essa orientação, mais voltadas à utilização, ou ‘aproveitamento’ dos seus dados existentes.

 

 

É importante destacar porém que isso não significa uma ‘mudança’ na forma que estamos acostumados a trabalhar.

O que vai acontecer agora é que você terá a opção de trabalhar com os dados fontes no Acces ‘e’ também com o Excel, se preferir, ou estiver mais à vontade.

Todos os ganhos e benefícios demonstrados do Sistema Hunter vão continuar, principalmente em relação à modularização – que permite a reutilização de dados base para demais aplicações.

A única diferença é que agora você poderá ‘manter’ os seus dados atuais no formato que estão, como o Excel.

Para exemplificar melhor, vamos refazer o tutorial do Hunter GE Network, ou seja, o módulo que pega os dados de Network (Sites, Coordenadas, Azimute, etc...) e plota os dados no Google Earth.

 

Exemplo: Network_DB

Como você deve se lembrar, o Sistema Hunter espera encontrar os dados de sua rede (Network) no banco de dados Access ‘Hunter_Network_DB.mdb’ no diretório ‘C:\Hunter\Network\Database\’.

 

Quando qualquer outro módulo Hunter precisa utilizar alguma informação da rede, bastava que esse novo módulo fizesse um ‘link’ para essa tabela, ou seja, tinha acesso aos dados da mesma.

Novamente, isso vai continuar, e é sem dúvida uma boa prática a ser seguida.

Mas como falamos, vamos abrir uma opção para que, dentro do possível, você mantenha os seus dados em seu formato atual. No exemplo de hoje, vamos mostrar como utilizar a tabela base no Excel, destacando porém que você pode fazer esse tipo de ligação com qualquer outro tipo de fonte de dados.

Para isso, simplesmente colocamos a nossa planilha do Excel num local onde possamos acessá-la posteriormente. Para facilitar, vamos colocar a nossa planilha no mesmo diretório onde se encontra o nosso banco de dados com a tabela ‘tbl_Network’.

 

Agora, algumas observações sobre essa ‘nova’ tabela ‘tbl_Network’.

Embora tenhamos essa flexibilidade de utilizar os dados no Excel, eles devem possuir nomes e formatos exatamente como a tabela do Access. Por exemplo, o campo que informa a latitude de um site deve se chamar ‘Latitude’, o campo que informa a longitude de um site deve se chamar ‘Longitude’, e assim por diante.

Caso contrário, todos os demais módulos que utilizam esses dados devem ser atualizados.

Explicando melhor, com um exemplo: o módulo ‘Hunter GE Network’, que plota os dados da rede no Google Earth, espera encontrar o campo ‘Latitude’ e ‘Longitude’ na tabela ‘tbl_Network’, seja ela proveniente do Access ou do Excel. Se a sua tabela do Excel tiver esses dados como ‘LAT’ e ‘LON’, teremos um erro, e o mesmo não vai funcionar.

A ‘solução’ que nos vem à cabeça é corrigir esse módulo específico, alterando todos os locais onde utilizamos os campos antigos (Latitude, Longitude) pelos novos (LAT, LON).

Mas definitivamente isso não é bom. Principalmente porque teríamos que atualizar ‘todos’ os demais módulos existentes, o que certamente daria um trabalhão danado.

Então, a regra para quem deseja utilizar as aplicações de exemplo com os seus próprios dados é: mantenha exatamente a mesma estrutura!

Caso a sua planilha tenha dados a mais, não se preocupe. Basta conter os dados necessários (Latitude, Longitude, e alguns outros como podem ser conferidos na tabela do Excel – também disponibilizada como exemplo).

Uma outra opção, e que também pode ser usada, é uma solução intermediária, e que permite que você:

  • Mantenha os seus dados exatamente como estão.
  • E utilize os módulos com os seus dados.

Para isso, você ‘carrega’ os seus dados nas tabelas padrões, principalmente dos módulos básicos, por exemplo através do uso de consultas UPDATE, que podem por exemplo conter expressões de tradução de nomes ‘Latitude:LAT’.

Em resumo, para utilizar os dados de sua rede nos módulos Hunter, temos 3 opções:

1)      Utilizar os dados no próprio Access. Seguindo o exemplo do módulo base ‘Hunter Network DB’, temos uma tabela no Access com os nossos dados, a tabela ‘tbl_Network’.

 

2)      Manter os dados no Excel, porém numa tabela ‘espelho’ do formato esperado. Nesse caso, qualquer outro módulo que utilize esses dados deve fazer o link dos dados para essa tabela.

 

3)      Manter os dados no Excel inalterados, e atualizar as tabelas base correspondentes. Nesse caso, deve-se utilizar artifícios como consultas ‘Update’ para garantir que os dados estejam como esperado.

 

Seja qual for a opção escolhida por você para adequar os seus dados, os resultados finais – as saídas de todos os demais módulos que utilizam as informações básicas – serão sempre os mesmos.

 

Outra Observação

Cada vez mais estaremos focados em aplicações, já que a maioria do aprendizado necessário para utilização do sistema já foi demonstrado nos diversos tutoriais já publicados.

A evolução tem sido gradual, com explicações bastante detalhadas nos primeiros tutoriais. Com o tempo, a repetição das mesmas explicações (como por exemplo: como criar uma consulta do tipo UPDATE para criar uma nova tabela com os dados desejados) acaba sendo portanto desgastante e desnecessária.

Ou seja: se você deseja aproveitar todo esse material disponibilizado é extremamente necessário que você leia, pratique e entenda todos os tutoriais anteriores.

É muito comum novos usuários fazerem perguntas sobre questões que já foram detalhadas anteriormente. Mesmo que o assunto de um ou outro tutorial não seja de seu interesse (por exemplo, talvez você não tenha interesse nenhum em Drive Test) você deve ler e entender o tutorial sobre o mesmo.

Além disso, além das explicações escritas no site, todos os códigos são bastante comentados, permitindo que se faça uma verdadeira ‘leitura’ do mesmo.

Por fim, temos ainda uma enorme quantidade de módulos a serem publicados. Quanto mais tempo precisarmos gastar com explicações redundantes (e portanto desnecessárias) acabam postergando a publicação de novos módulos.

Diante disso, estaremos publicando os módulos mais focados em sua aplicação, lembrando sempre que você poderá reproduzir os passos mostrados utilizando os arquivos de exemplo recebidos.

 

Hunter Network GE – Algumas Atualizações

Aproveitamos o tutorial de hoje, onde vamos demonstrar a utilização de uma tabela do Excel ‘tbl_Network’, estaremos mostrando mais algumas novas implementações / artifícios.

 

Utilizando o Excel como Fonte de Dados

Para utilizar o Excel como fonte de dados - ao invés da tabela no próprio Access – simplesmente fazemos o link para a tabela do Excel.

 

Em outras palavras, essa planilha do Excel passa a ser o nosso ‘banco de dados’ base. Abrimos o arquivo ‘Hunter_GE_Network_RUN_2.0.0.mdb’ localizado no diretório ‘C:\Hunter\GE\Network\Scripts’.

Observe que temos 2 fontes de dados vinculados:

  • ‘tbl_Network FROM ACCESS’: um link para a tabela base ‘tbl_Network’, do banco de dados base ‘C:\Hunter\Network\Database\Hunter_Network_DB.mdb’.
  • ‘tbl_Network FROM EXCEL’: um link para a planilha do Excel ‘tbl_Network.xls’, localizada em ‘C:\Hunter\Network\Database\’.

Esses nomes são apenas auxiliares, essas duas fontes de dados não são utilizadas. Isso porque o módulo atual espera encontrar os seus dados em uma ‘tabela’ chamada ‘tbl_Network’, não importando se é uma tabela local, um link para uma tabela do Access em outro banco de dados, ou ainda um link para uma planilha do Excel.

O que importa aqui é que ‘tbl_Network’ tenha os dados que precisamos!

 

Copie e cole a tabela vinculada do Excel, e renomeie a mesma para ‘tbl_Network’.

 

Pronto, a aplicação já roda baseada nos dados da sua rede, conforme estão no arquivo do Excel!

 

Tabelas ‘_DATA_’

A principal novidade hoje, além da possibilidade de utilização do Excel como fonte dos dados, é a utilização do artifício de criação de tabelas do tipo ‘_DATA_’.

Esse é um novo conceito, e importante para uma melhor eficiência na execução das aplicações.

De forma simples, toda tabela ‘_DATA_’ contém dados ‘temporários’, e somente os necessários.

Fica mais fácil de entender essa funcionalidade se pensarmos em outros módulos, e não apenas esse que plota os dados da rede no Google Earth.

Toda vez que plotamos os dados, temos que fazer uma série de cálculos, por exemplo os pontos de coordenadas finais de cada célula, baseado nos valores configurados de distância, tecnologia, etc.

Por exemplo, atualmente temos configurado que desejamos que as células GSM850 tenham um comprimento de 200 metros.

 

Tudo bem, toda vez que rodarmos essa aplicação, podemos rodar esses cálculos através de uma consulta, acessá-los e criar os arquivos de saída (através do VBA). É bem simples, e já vimos com detalhes como isso é feito.

Mas temos duas melhorias que podem ser (e são) feitas aqui.

Primeiro, quando acessamos os dados de uma consulta que realiza cálculos, o nosso tempo de processamento fica maior - acessar os dados direto de uma tabela temporária é muito mais rápido.

Segundo, e mais interessante ainda: se tivermos um outro módulo, por exemplo o que plota os dados de Performance/KPI no Google Earth, teremos que fazer todos esses cálculos novamente?

Sim, poderíamos. Mas na verdade, utilizamos os dados que já foram calculados aqui! É muito mais eficiente e rápido.

Para concluir, esses dados poderiam ser acessados pelos demais módulos através das tabelas ‘_DATA_’ localizadas nesse banco de dados. Mas é mais recomendado ou ‘padronizado’ que os demais módulos procurem os seus dados nos módulos base.

Assim, criamos as tabelas ‘_DATA_’ nesse banco de dados, para agilizar o processamento.

E também, copiamos (via código VBA) essas mesmas tabelas para o banco de dados padronizado com os dados da rede – e é de lá que todos os demais módulos buscam os dados.

Essas implementações podem ser vistas como opções através da interface principal desse módulo ‘Hunter GE Network’.

 

O ‘checkbox’ ‘(Update Network Other Tables)’ atualiza as principais tabelas, como ‘tbl_DATA_Network’ e ‘tbl_DATA_Network_CellPoints’, apenas com os dados de acordo com os critérios configurados (Distância, etc.).

O ‘checkbox’ ‘(Update Network PolygonPoints)’ atualiza os dados da tabela ‘tbl_DATA_Network_PolygonPoints’. Diferente da tabela ‘tbl_DATA_Network_CellPoints’, essa tabela demora um pouco mais para rodar, e se a rede não teve nenhuma alteração de coordenadas, não é necessário atualizá-la sempre.

O ‘checkbox’ ‘(Copy Tables to Network DB)’ copia as tabelas ‘_DATA_’ do banco de dados atual para o banco ‘Network DB’.

O botão opcional abaixo serve para executar o conjunto de ações correspondente.

 

Essas são então as principais alterações, ou atualizações desse módulo.

Só como uma pequena revisão, temos 3 principais módulos no Hunter:

  • Network: com todas as informações da rede, principalmente em termos de parâmetros físicos como coordenadas, azimutes, etc.
  • Parameters: com todas as informações de parâmetros lógicos da rede, como BCCH, PSC, etc.
  • Performance: com as informações de Performance/KPI’s.

Os módulos derivados destes, como por exemplo o GE Network, que plota as informações físicas da rede no Google Earth, de certa forma pode ser considerado como um módulo principal também, porque é nesse módulo que fazemos algumas configurações que depois podem ser aproveitadas por outros módulos.

Um exemplo disso é o tamanho de cada célula, de acordo com sua Tecnologia e Banda por exemplo. Podemos dizer que as nossas células GSM850 devem ter 200 metros, e as GSM1900 devem ter 150 metros.

 

Assim, nos módulos que veremos em breve, esses valores já estão previamente calculados, e de acordo com o que configuramos.

Esse é o motivo de criarmos as tabelas do tipo ‘_DATA_’. E o motivo para copiar as mesmas para o banco de dados Network, é que os demais módulos vão acessar esses dados prontos de lá.

Tentando explicar de forma mais clara, quando formos plotar os indicadores no Google Earth (ou qualquer outra coisa), não precisaremos mais recalcular por exemplo as coordenadas finais dos polígonos de cada célula. Isso seria possível, com certeza. Mas aí teríamos retrabalho, e desperdício de tempo.

Se mesmo com essas explicações ainda não ficou completamente claro, não se preocupe: a medida que os novos módulos vão sendo disponibilizados, você vai poder aprender na prática, utilizando os arquivos de exemplos com dados totalmente funcionais.

Depois, basta ir adaptando para a sua rede/realidade.

 

Legendas

Para facilitar a utilização de ícones da sua operadora, fornecemos ícones genéricos, pequenos círculos, com o nome de cada cor.

 

Também fornecemos uma planilha do Excel com a Legenda criada de acordo com os dados de exemplo.

 

Nota: Você encontra essa planilha em ‘C:\Hunter\GE\Network\Help’.

 

 

Resultado

O resultado desse módulo não muda. Você continua tendo os dados físicos de sua rede apresentados de forma simplificada no Google Earth.

 

Conclusão

Iniciamos hoje uma nova etapa nos desenvolvimentos das aplicações Hunter, a pedido de alguns usuários.

Agora estaremos trabalhando com dados fonte no Access e/ou Excel.

Isso permite um maior aproveitamento dos conhecimentos de quem está começando, e está mais familiarizado com o Excel do que o Access.

De qualquer forma, o processamento principal fica a cargo do Access, aproveitando o enorme poder desse programa em termos de processamento e diversidade de aplicações, graças em grande parte ao VBA, cujo código completo é fornecido em todos os exemplos.

Novamente agradecemos a você que participa, e fez a sua doação. Sua atitude demonstra reconhecimento, e somente cabe a nós do telecomHall corresponder cada vez mais com a disponibilização de novas e fantásticas aplicações, cobrindo tudo o que for necessário para melhorar o seu trabalho e a sua experiência.

Obrigado também pelas visitas às outras seções, como Dicas e Cursos, e pelos extensos comentário deixados.

E obrigado também pela divulgação do nosso site entre seus contatos – percebemos uma aumento crescente no número de novos visitantes, e isso com certeza é fruto do seu compartilhamento dos nossos tutoriais.

Até nosso próximo encontro, evoluindo sempre!