Croquis - Esboços de Engenharia

segunda-feira, 18 de abril de 2011 18:57:00 Categories: Hunter
Rate this Content 5 Votes

À primeira vista, o assunto esse é um assunto que parece não ser tão importante, ou pelo menos não ter muita relação com Telecom e TI.

 

 

Mas então responda a seguinte pergunta: "Se o seu chefe te pedir para fazer um rascunho, um esboço da instalação de um site no terraço de um edifício, como você começaria? Quais são as informações mínimas que um desenho desse tipo deve conter?"

Então, mesmo que pareça um assunto simples, vale a pena falarmos um pouco sobre ele. Mesmo que seja apenas para relembrarmos e reunirmos algumas recomendações básicas para a sua elaboração – lembrando que esse é um assunto com pouca informação específica disponível.

 

Objetivo

Apresentar informações auxiliares para a elaboração de um croqui (croquis – palavra de origem francês que significa esboço ou rascunho).

Daqui por diante, vamos chamar esse nosso recurso de croqui. Isso porque temos inúmeras formas de chamar, como Esboço de Engenharia, Rascunho de Engenharia, Rascunho Técnico, Rascunho de Projeto, etc...

Então: croqui caracteriza-se como um desenho, um registro de uma idéia ou apreciação inicial, para que posteriormente possa evoluir para o projeto.

 

Para que serve o Croqui?

Esse tipo de representação é utilizada em praticamente todas as especialidades da Engenharia, e até em outras áreas que não de Telecom e TI.

 

Todo profissional, independente da sua área de atuação, deve saber comunicar bem as suas idéias. E uma forma de fazer isso é através de croquis, através do qual ele pode expressar todos os seus objetivos.

Por exemplo na Engenharia Civil, no desenvolvimento do projeto de uma casa: primeiro traça-se um croqui para definir algumas linhas básicas como os principais cômodos, dando idéias de dimensão, medidas, entre outros. Depois, parte-se para o detalhamento dessas medidas, análise dos espaços, cortes necessários, varandas, etc . Por fim, o croqui irá evoluir para um Projeto.

 

Esse recurso é utilizado por profissionais de Telecom e TI para expor as suas idéias iniciais de projeto a todos os envolvidos. Por esse motivo, é bom seguirmos algumas recomendações, tornando essa ferramenta mais padronizada e profissional.

 

Mas e se eu não tiver habilidades artísticas para desenhar?

Não estamos falando aqui de arte, lembre-se disso. O importante é saber apresentar as informações que possam ajudar a identificar as necessidades do projeto e potenciais problemas.

 

Você precisa apenas saber avaliar todos os detalhes e informações existentes, tendo em vista auxiliar a evolução do projeto.

Após os croquis, seguimos para o desenho técnico, este sim, deverá conter informações mais precisas e detalhadas – o que leva a um maior tempo gasto em sua elaboração. Os desenhos técnicos já representam a parte final e definitiva do projeto, que foi discutida a partir do croqui.

Um profissional com prática em croquis consegue levar de forma simples qualquer cenário para ser discutido pela equipe envolvida!

 

E o que é preciso para fazer o Croqui?

Um lápis, uma borracha, uma folha de papel... e sua imaginação!

-> Primeiramente, olhe para o local onde você deseja retratar. Em seguida, visualize como uma parte dele se encaixaria no local adequado em sua folha de papel. E desenhe!

Pronto! Você já aprendeu a 'técnica' para se desenhar qualquer croqui.

Pode até parecer brincadeira, mas é isso mesmo. Só vai depender da prática, e de repetir os passos indicados. Para isso, vá desenhando por partes – olhe para o local, visualize em sua mente como cada parte vai estar no desenho... e desenhe!

É mais ou menos como um loop, como vemos na figura a seguir.

 

Só uma dica final: faça primeiro um esboço que contenha todas as bordas ou limites externos da área envolvida. Assim você terá certeza que poderá desenhar as áreas menores – contidas dentro dessa borda externa – sem correr o risco da folha de papel acabar sendo pequena!

 

Croquis de Telecom e TI

Na área de Telecom e TI temos alguns tipos de croquis específicos.

Um tipo específico de croqui é utilizado para orientar o trajeto de chegada a um ponto pouco conhecido, por exemplo para uma nova estação ou estação coletora de transmissão em um morro. Esse croqui, conhecido com Croqui de Acesso, é feito com a ajuda do GPS, e atualmente também de ferramentas georeferenciadas, como o Google Earth.

 

Um outro tipo importante é o Croqui de Situação ou Croqui de Instalação, que no caso de Telecom, é muito comum. Este documento é muito importante – ou até fundamental – para agilizar os projetos, subsidiando as tomadas de decisão.

Cabe ao projetista elaborar o croqui de forma rápida, simples, e didática, procurando registrar o máximo de informações relevantes, de acordo com a finalidade para qual será utilizado aquele documento.

 

Existem regras para elaboração do Croqui?

Não, somente recomendações. Como citamos anteriormente, a primeira ação é buscar conhecer a finalidade para qual será usado o documento. Conhecer os componentes do sistema que irá ser instalado, com destaque para o espaço.

E como sempre fazemos para tentar exemplificar melhor, vamos imaginar um sistema WiMax a ser instalado no topo de um prédio.

 

Um projeto típico deverá ser composto basicamente por:

  • Um estação processadora (ERB/Nó);
  • Uma ou mais Antenas;
  • Cabos, Conectores e equipamentos similares/auxiliares;
  • Suportes;
  • Alimentação e Aterramento;
  • Conexão com Link de Controle (TX).

A primeira coisa a ser feita – naturalmente - é se deslocar até o local indicado para a instalação dos equipamentos.

 

Laytou Atual e Proposto (opcional)

Alguns profissionais costumam trabalhar com dois croquis: um com a situação atual, e outra com a situação futura (proposta). (Embora o importante mesmo é o croqui com a situação final).

Nesse caso, inicia-se a elaboração do croqui simplesmente com o desenho proporcional do local - croqui do Layout Atual.

Em seguida, a partir do desenho do local, são desenhadas as alterações propostas – Layout Proposto.

 

Recomendações Gerais

Já dissemos que não existe uma regra única a ser seguida, mas algumas orientações podem ajudar. Então vamos lá...

Identificar o local para instalação da unidade fixa processadora. Isso inclui definir o espaço com medidas do local como um todo, e o espaço que o equipamento irá ocupar. Deve ser feita uma análise critica considerando altura, afastamento necessários, condições de ventilação, etc.

 

Também é importante verificar como serão feitas as manobra para instalação e manutenção.

 

Identificar a origem da alimentação para o equipamento, e também o local para ponto de aterramento. E também, informar o ponto de ligação mais próximo com a empresa fornecedora de energia.

 

Identificar o local para instalação da(s) Antena(s) , observando-se o ponto de irradiação e a forma de fixação. Em alguns casos é recomendável fazer um corte vertical para detalhar melhor o posicionamento da(s) mesma(s).

Indicar no croquis os encaminhamentos de todos os cabos, seja energia, interligação da(s) antena(s) ou aterramento.

Em relação às escalas utilizadas, os croquis não são necessariamente feitos em escala (embora isso naturalmente seja possível). Apenas indicam-se as medidas principais, relevantes para o projeto. Lembre-se que estamos tratando de croquis, e não do projeto definitivo.

O Norte Magnético também deve ser indicado no desenho, e também é bom informar as ruas próximas ao local.

Uma outra dica seria destacar a área existente (m2) aproximada, e a área pretendida para utilização do projeto, destacando todos os componentes do sistema.

 

O croqui deve apresentar Texto identificadores dos componentes do sistema (área verde, varanda, etc...). É comum também a utilização de hachuras, para distinguir áreas distintas. Também é recomendado informar a cota, ou seja, as alturas mais relevantes do local.

 

Informações de Controle

Por fim, o croqui deve conter algumas informações básicas de controle.

  • Descrição: geralmente o nome 'Croqui' seguido do nome da instalação;
  • Data: em que foi feito o croqui;
  • Revisão: para casos onde seja necessário um novo croqui;
  • Autor: contendo o nome do executor ou desenhista do croqui;
  • Local: contendo o endereço.

 

Alguns exemplos de Croquis

Para finalizar, seguem alguns exemplos de croquis.

Os croquis podem ser feitos a mão livre em uma folha em branco.

 

E podem ser feitos em folhas com fundo quadriculado, facilitando o desenho.

 

Importante: Em todos os casos, é recomendado que o croqui seja posteriormente scaneado, ou seja, transformado em documento digital.

Assim, os croquis podem ser enviados para a equipe responsável pela elaboração do desenho técnico, que utilizam ferramentas de desenho profissional como o AutoCad.

 

Você pode baixar aqui um exemplo de Croqui, mas lembre-se: basta uma folha de papel em branco, um lápis, uma borracha... e prática!

 

Conclusão

Apresentamos hoje uma breve sugestão, ou orientações a serem seguidas na elaboração de um croqui - o primeiro rascunho ou esboço de um projeto.

Um bom croqui deve conter informações que permitam a melhor representação possível da situação do local onde será realizado o projeto. Quanto melhor for o croqui, maiores as chances de um bom Projeto Final.