Crie (e Edite) Rotas de Drive Test no Google Earth e Google Maps

domingo, 18 de março de 2012 22:11:00 Categories: Drive Test Google Earth Google Maps
Rate this Content 3 Votes

O Drive Test representa uma excelente forma de avaliação da rede, e já apresentamos aqui no telecomHall algumas dicas e melhores práticas para a realização do mesmo.

Como vimos, o mesmo pode ser usado em diversas áreas. Hoje vamos apresentar algumas dicas para um tipo específico de Drive Test: as Rotas de Qualidade.

 

 

 

Download

Para baixar gratuitamente os arquivos deste tutorial, clique aqui.

Para saber como obter todos os arquivos e códigos do Sistema Hunter, clique aqui.

 

Definição das Rotas de Qualidade

As Rotas de Qualidade são percursos pré-definidos, e que devem ser realizados periodicamente, geralmente de 2 em 2 meses.

Estas Rotas devem cobrir as regiões mais relevantes da rede, como Grandes Clientes e Empresas, Pontes e Avenidas mais importantes, etc.

No princípio, estas rotas eram demarcadas em mapas impressos, e entregues para as equipes responsáveis pela execução do Drive Test.

Atualmente é mais comum a criação e utilização dessas rotas em arquivos vetoriais, linhas desenhadas em programas GIS como Mapinfo e Google Earth.

Como exemplo, através do Google Earth, podemos utilizar a ferramenta ‘Add Path’, e construir o nosso caminho, o percurso desejado para a rota de qualidade. (Para simplificar o nosso exemplo, o nosso percurso aqui será bem simples).

 

Navegamos até a nossa região de interesse, e fazendo algumas edições, o nosso percurso está pronto para ser enviado para a execução do drive test.

 

Entretanto, mesmo nessa rota tão simples, podemos fazer algumas observações, ou melhorias.

Primeiro, devemos nos lembrar que as rotas serão percorridas por pessoas, que nem sempre conhecem a região detalhadamente. Isso inclui saber a direção (mão, contra-mão) das vias, ponto de partida e de chegada, etc.

Além disso, as rotas podem ser percorridas por pessoas diferentes, de tempos em tempos.

Um outro ponto importante: talvez a rota desejada, da forma exata como desenhada não seja possível de ser percorrida.

O ideal é termos essas rotas perfeitamente definidas, levando em conta os critérios citados acima. Assim não será necessário repetir as recomendações para cada novo executor das mesmas.

 

E como fazer isso?

A melhor forma de se definir rotas de Drive Test é traçando as mesmas observando todas as condições existentes. Em outras palavras, traçar as rotas de forma que seja realmente aquilo que vamos encontrar em campo.

O percurso que usamos como exemplo nos permite ver claramente o que isso significa.

Em ‘Vermelho’ temos a rota ‘Original’, que desenhamos de acordo com as nossas necessidades. E em Azul, a rota ‘possível’, dirigindo pelos locais permitidos. Essa é uma rota ‘validada’ pelas rotas do Google Maps.

 

Mas como traçar esse tipo de rota de forma mais completa ou precisa?

Embora o Google Earth não permita a edição de rotas, podemos fazer isso utilizando o Google Maps!

Uma vez definida (e ajustada) a rota no Google Maps, podemos salvar a mesma como um arquivo do tipo ‘kml’, e posteriormente utilizá-la em nosso trabalho no Google Earth.

 

 

Criando uma rota no Google Maps

A seguir, vamos demonstrar como a rota acima foi criada no Google Maps, e também como essa rota final ajustada foi salva como um arquivo ‘kml’ do Google Earth.

A principal informação aqui é que o Google Maps permite o ajuste dinâmico das rotas traçadas, fazendo a correção automática de direções para os novos pontos.

Para isso, basta mover o mouse sobre algum ponto da rota, e assim que aparecer um pequeno círculo, mover o mesmo para o novo ponto intermediário desejado.

Mas vamos lá, e ver como ajustamos essa rota.

Primeiro, acessamos o Google Maps.

Continuando, digitamos um endereço da nossa rota, por exemplo de onde desejamos partir – ponto ‘A’. Em seguida, digitamos o mesmo endereço como ponto ‘B’, e por fim clicamos no botão ‘Get Directions’.

Temos então, uma primeira ‘rota’, do ponto ‘A’ para o ponto ‘B’ – que por enquanto é o mesmo ponto.

Nota: sim, você pode digitar o mesmo endereço, já que vamos alterar o ponto final ‘B’.

 

Continuando então, clicamos no ponto ‘B’, e arrastamos o mesmo na direção da nossa rota desejada.

 

Enquanto você move o ponto, um ‘X’ (1) indica onde o mesmo pode ser solto, ou seja, onde será o ponto final temporário. Também temos informações dinâmicas com informações do mesmo (2).

Dependendo da sua rota, você pode ir arrastando o ponto para um local mais distante na rota, e o Google Maps vai recalculando a mesma automaticamente, indicando a mesma dinamicamente no mapa.

 

Só que se você arrastar muito, a rota vai ser ‘recalculada’ para a melhor rota possível – a melhor rota para dirigir de um ponto a outro. Entretanto, este não é o nosso objetivo, pois desejamos que a rota passe pelos locais que escolhemos.

Por exemplo, se você arrastar demais o ponto, a rota foge do objetivo.

 

A solução?

Para resolver esse problema, e conseguir definir a rota por pontos definidos, arrastamos o ponto final ‘B’ até um ponto onde a rota ainda siga o que buscamos.

 

Soltando o ponto ‘B’ temporariamente, passamos o mouse sobre a rota (num ponto próximo ao mesmo). Nesse momento, aparece um pequeno círculo branco (1), indicando que podemos ‘Arrastar’ a rota para modificá-la (editá-la).

No nosso caso agora, não estamos querendo editar a rota, mas podemos usar esse artifício para ‘forçar’ o Google Maps a incluir esse ponto na nossa rota. Para não afetar a rota, clique e arraste esse ponto para um outro ponto – na mesma rota, e bem próximo de onde você passou o mouse e viu o círculo.

 

Observe que nesse momento, esse ponto de passagem fica indicado também do lado esquerdo do mapa (assim como o pequeno círculo branco fixo no mapa).

 

Nota: quando você insere um novo ponto de passagem, você tem a opção de desfazer. Para isto, basta clicar em ‘Undo’ na parte superior direita do mapa. Caso você não o faça, não será mais possível removê-lo na edição (só é possível remover todos). Mas não se preocupe, uma saída se você quiser remover um ponto é arrastar para um mesmo ponto já existente.

 

Pronto, arrastamos agora o ponto ‘B’ para um ponto próximo ao ponto inicial ‘A’, e nossa rota está criada.

 

Utilizando as dicas acima, você agora é capaz de criar qualquer rota customizada, adicionando quantos pontos de passagens forem necessário.

Uma vez criada a rota, clique no botão ‘Link’ (1), copie a URL (2) para o Clipboard e salve em um arquivo de Texto.

 

Observação: também é possível editar as rotas adicionando novos destinos (ponto ‘C’, ponto ‘D’, etc...). Se desejar usar dessa forma, utilize a barra lateral, que permite a alteração da ordem dos pontos através de ‘arrastar’ e ‘soltar’.

Se desejar mais informações, assista o vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=KPOOWvP_dd8&feature=player_embedded#!

 

Editando uma rota no Google Maps

Para editar uma rota, os passos são os mesmos como mostrado acima: basta criar e arrastar os novos pontos de passagem, a partir dos pontos desejados.

 

Novamente, perceba que a rota é sempre automaticamente calculada, observando todas as variáveis existentes como tráfego. Caso você deseje alterar, basta fazer como vimos acima, inserindo novos pontos de passagem.

 

Utilizando a rota (salva) no Google Earth

Certo, já temos a nossa rota salva no Google Maps (basta colar a URL que copiamos em qualquer browser). Mas para podermos utilizar a nossa rota no Google Earth, precisamos salvar a mesma como um arquivo do tipo ‘kml’.

Para isso, o procedimento também é simples: adicione o texto ‘&output=kml’ ao final da URL.

 

Cole essa nova URL em um browser, tecle ‘Enter’, e a saída será no formato do Google Earth.

 

Salve essa rota (arquivo kml) em um local apropriado, e utilize de acordo com a sua necessidade no Google Earth. Nota: guarde sempre as URL’s das suas rotas em arquivos de Texto, assim quando você precisar alterá-la basta colar no Google Maps e voltar a editar.

 

Clicando com o botão direito sobre a rota, você ainda tem a opção de editá-la, como por exemplo, alterar a cor e opacidade da mesma.

 

Pronto: a sua rota está pronta para ser utilizada!

 

Conclusão

Este foi um breve resumo de como criar e editar rotas no Google Maps e Google Earth.

Aprendemos de forma simples como criar rotas mais profissionais. Adicionando pontos intermediários, temos total controle da forma final da nossa rota.

Além disso, a rota gerada (calculada) pelo Google Maps já leva em conta as condições do local, como a mão da via.

Se você gostou de mais essa dica, incentive-nos a continuar trazendo sempre o melhor conteúdo para o seu trabalho: compartilhe o telecomHall com os seus amigos!

Se possível, deixe também o seu comentário, logo abaixo. Até nosso próximo encontro!